Como se formam os comportamentos?

Enquanto escrevo este texto, não tenho uma barra de habilidades sobre mim em que posso ver minhas melhorias. Elas são invisíveis – porém existem. Quer dizer, elas não são invisíveis, mas podem ser percebidas através da observação da evolução dos meus comportamentos.

Um comportamento final (o ato de escrever, por exemplo) não se define apenas por uma única coisa. Estou fazendo diversos comportamentos simultaneamente: digito no computador, recordo-me de histórias, olho para algum ponto da minha casa que me faz pensar em um fato engraçado para adicionar ao texto. Tudo isso são comportamentos “menores” que, em conjunto, formam o comportamento “maior” de escrever.

Só um adendo antes de  continuar o texto: escrevo comportamentos “menores” ou “maiores” entre aspas porque eles são, em si, realmente maiores ou menores. Digitar no computador é um comportamento completo, mas ele pode se inserir em outros comportamentos: posso estar editando um vídeo, conversando com amigos ou escrevendo um livro – são comportamentos distintos.

Alguns desses comportamentos “menores” têm graus de perícia diferentes. Posso ser um ótimo digitador de computador enquanto sou péssimo para me recordar de histórias para adicionar aos meus textos – o resultado da mistura desses comportamento vai me dar a qualidade do meu comportamento final.

Existem contextos diferentes em que os comportamentos surgem e que são bastante importantes: escrever uma carta de amor na solidão do meu quarto é completamente diferente de escrever uma aula no quadro para alunos – confundir as duas coisas pode ser constrangedor.

É por isso que algumas pessoas têm medo de dirigir: na verdade, elas têm medo de dirigir no contexto do trânsito, porém, provavelmente, elas não possuem nenhum medo de dirigir um carro em um simulador virtual (um video-game).

Entender esses comportamentos, os que compõem um comportamento desejado e, tão importante quanto, os contextos em que eles surgem, são essenciais para modificar hábitos. Se eu sei que meu problema é o contexto, devo exercitar o comportamento dentro daquele contexto ou, por outro lado, se sei que o problema é falta de prática, basta então tornar a prática mais comum.

You May Also Like

About the Author: petrusem

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *